Um pouco mais das minhas leituras…

In first language acquisition research, it is well established that reading is one of the main ways of learning new words, and that people who do more reading know more words (Sternberg 1987a, West & Stanovich 1991). Reading is important for first language development and it is assumed to be important for second language development as well. (COBB & MEARA, 1998, p. 1)

But as learners read, does word learning occur to any practical extent? (COBB & MEARA, 1998, p. 2)

Generally, the text frequency data suggest that sizable learning gains can be expected to occur consistently for items that are repeated eight times or more. With fewer than eight repetitions, growth is much less predictable (COBB & MEARA, 1998, p. 11)

the study suggests that extensive reading is not a very effective way for learners who have a mean vocabulary size of around 3000 words to expand their lexicons. (COBB & MEARA, 1998, p. 14)

Learning your first language, you had enough time at your disposal to discover all of its common words and learn them without trying. But in a second language, in most cases there is simply not enough time for this to occur. (COBB, 1997, p. 1)

several encounters with each word (probably about ten) are needed for stable learning to occur. (COBB, 1997, p. 1)

For the simple reason that English, like any language, has the habit of recycling a relatively small number of words over and over again, and if you know these words then your reading power can be enhanced dramatically for a relatively modest learning investment. (COBB, 1997, p. 1)

How many words people know? How fast their vocabularies grow? How these factors are related to other aspects of linguistic competence? (MEARA, 1996, p. 41 in COOB, 2000, p. 1)

>>>Laufer cita 3 tipos de palavras que podem ser obstáculos à leitura: (LAUFER, 1997)

1. Palavras que você não conhece:
A deficiência lexical pode ser obstáculo para o uso de estratégias de leitura. Por exemplo, quando o leitor tenta extrair as idéias principais do texto, ao não conhecer muitas palavras, ele pode achar que a idéia central do texto está na parte do texto que ele conseguiu entender, devido ao vocabulário conhecido. A autora diz que até mesmo o entendimento da estrutura do texto (o uso de marcadores do discurso, por exemplo) pode ser comprometido
pela falta de vocabulário. Laufer fala da necessidade de um vocabulário básico de reconhecimento (sight vocabulary), isto é, palavras cujo sentido e forma são automaticamente reconhecidos, independentemente do contexto. O conhecimento destas palavras em um texto liberará o leitor para processos cognitivos mais complexos como: inferir o significado de palavras desconhecidas e interpretar o sentido global do texto. Se muito esforço for dedicado à decodificação da informação ao nível da palavra ou da frase, o leitor terá dificuldades em perceber a relação entre os parágrafos. Quantas e quais palavras, então, fariam parte deste vocabulário básico? Após estudos que relacionavam o léxico dos aprendizes à sua habilidade de leitura, Laufer concluiu que o limiar para a boa compreensão, ou seja, quando o aprendiz consegue transferir suas estratégias de leitura de L1 para L2, é a faixa de 3.000 famílias de palavras.

2. Palavras que você acha que conhece: (deceptive transparency)
Neste grupo se incluem § as palavras cujas partes nos levam a conclusões equivocadas sobre seu significado (eg.: inflammable),  os falsos cognatos, as expressões idiomáticas (quando interpretadas por partes),  palavras polissêmicas e  palavras cuja forma ou pronuncia causem confusão (eg.:price/prize; industrial/industrious). Laufer sugere um trabalho de conscientização sobre a existência destas palavras, a fim de se evitar futuros equívocos na leitura.
3. Palavras cujo significado você não consegue inferir: (p.28-30)
Laufer argumenta que a estratégia de inferência de significado não depende apenas da habilidade do leitor e que nem todas as palavras são passíveis de se entender através desta técnica. Isto ocorre por vários fatores:  Não há pistas contextuais do significado desta palavra. Nem todos os textos são ricos o suficiente para fornecer estas pistas.  Muitas vezes, as pistas estão nas outras palavras do texto que também são desconhecidas.

Outras vezes, as pistas são traiçoeiras. As pistas são suprimidas pelo leitor que interpreta as palavras à luz de suas concepções e conhecimento prévio do assunto.

I do not contest the value of the guessing activity as such or the
fact that it takes place. What I find hard to accept is taking for
granted that guessing in L2 is indeed possible with most unknown
words and that successful guessing depends mainly on the
learner’s guessing strategies. This seems to be a naive belief
since a variety of factors will interfere with the guessing attempts
of the reader.. (Apud Coady & Huckin, 1997: 27-28)

RESUMO:
Laufer cita 3 tipos de palavras que podem ser obstáculos à leitura: palavras que você não conhece; palavras que vc acha que conhece e palavras cujo significado vc não consegue inferir. Há que se levar em conta os fatores que afetam a inferência do significado de uma palavra desconhecida em um texto: a presença de pistas contextuais; a familiaridade com outras palavras do texto que servirão de pistas; a presença de pistas traiçoeiras que nos conduzem a interpretações errôneas e a compatibilidade entre os esquemas do leitor e o conteúdo do texto que afeta o modo como interpretamos o sentido
das palavras. O conhecimento de um vocabulário básico (sight vocabulary) reduz em muito o esforço cognitivo que a tarefa de inferência demanda. Laufer estima que o conhecimento das 3.000 palavras mais freqüentes seria o patamar inicial para a aplicação das estratégias de leitura.

Vocabulary acquisition has moved from being a neglected backwater in second language acquisition (SLA) to a position of some importance, and this importance looks like increasing as lexical issues become more central to theoretical linguistics. (MEARA, 2002, p. 1)

Firstly, young children learn their first language by acquiring single words in the first instance. They eventually get round to putting these words together into phrases and sentences, but this development takes a long time. Children don’t start using two word utterances until they have a basic vocabulary of
about 100 words. Longer utterances only come with a much bigger vocabulary, and even then, the syntax of these utterances is pretty peculiar. It takes several years before children start to use a sentence structure that clearly resembles that of a normal adult. If a single word stage is important for children learning their L1, then quite possibly a similar stage might be natural for L2 learners as well. (MEARA, 1995, p. 3)

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s